Fim de uma era

30 \30\UTC novembro \30\UTC 2010 at 9:40 Deixe um comentário


Uma semana se passou desde que o Chicago Climate Exchange (CCX) anunciou o fechamento do seu sistema de comércio de emissões, porém, até agora, a mídia ignorou quase que completamente o assunto, publicando apenas quatro notícias sobre o tema.

O CCX foi o primeiro sistema de cap-and-trade nos Estados Unidos, voluntário, porém, com metas internas para os membros que entrassem voluntariamente no sistema. Os créditos de carbono (carbon financial instruments – CFI’s) poderiam ser vendidos também somente entre os membros que aderissem ao programa, como se fosse um clube exclusivo de carbono. A taxa de adesão variava entre U$ 1.000 e U$ 60.000 por ano, dependendo do perfil da empresa.

Os projetos de redução de emissões gerados a partir do CCX foram bastante criticados em relação a adicionalidade duvidosa, ou seja, a demonstração de que o projeto não ia acontecer (ou pior, já não estava acontecendo) mesmo sem o incentivo de crédito de carbono. Outro aspecto fraco do “padrão” era a abordagem de permanência no caso dos projetos de uso de solo, quando os fazendeiros ou empresas que sequestravam carbono com o plantios de árvores não eram responsáveis para manter este estoque “já vendido” por mais de cinco anos.

Em 2008, o volume de transações no CCX triplicou, refletindo as especulações que os CFIs poderiam servir como uma espécie de “ação antecipada” se a lei climática americana saísse. Em 2009, ficou claro que este tipo de créditos não seria aceito em um possível sistema de cap-and-trade americano, e o valor de CFI caiu drasticamente: de sete dólares no começo de 2008 para dois no final de 2008, e mantendo o preço de cerca de um dolar durante 2009. No começo de 2010 o preço caiu para dez centavos. No final de abril, o CCX, junto com o European Climate Exchange, foi comprado pelo IntercontinentalExchange (ICE). Uma semana atrás o CCX anunciou que vai terminar o sistema de comércio de emissões, porém vai lançar um registro de offsets para 2011 e 2012.

Por incrível que pareça, essa notícia me deixou feliz, isso sem entrar no mérito político da questão. Teoricamente, deveria me preocupar, já que, nas três das quatro notícias que achei na internet, o fechamento da CCX foi interpretado como “R.I.P: carbon trading”. Acontece que, como trabalho com florestas, vivo observando que a primeira coisa que as pessoas lembram quando se fala dos projetos florestais de carbono é o CCX, devido a atenção da mídia que foi posta nele no período de adesão dos novos membros (e, esperadamente, não foi dada agora). Minha felicidade se explica pois vejo a alta importância de créditos de carbono para projetos que precisam de incentivo para serem executados de fato, logo, prefiro que a referência no mercado seja dada por um padrão transparente e independente, sem os interesses comerciais por trás, igual o recém falecido CCX.

Fonte: Portal Exame

Entry filed under: Mudanças Climáticas. Tags: .

Desmate no Cerrado e agricultura são desafios do Brasil para reduzir emissões de gases estufa COP 16 dá início aos trabalhos

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Inscreva-se para receber notificações de novos artigos por email!

Junte-se a 47 outros seguidores

Nosso Facebook

Nosso Twitter

  • Você sabe por que nossos créditos de carbono são premium? Além de auxiliarmos nossos clientes a serem mais... fb.me/8iUGQ99RK 19 hours ago
  • Compartilhamos com vocês as impressões de Divaldo Rezende, vice-presidente do Instituto Ecológica, sobre a COP... fb.me/7qgdfhFFh 2 days ago
  • Nossos projetos, além de reduzirem a emissão de gases de efeito estufa, também promovem o desenvolvimento... fb.me/LeTywejZ 3 days ago
  • Destacamos alguns dados divulgados no relatório anual da Forest Trends para manter vocês atualizados sobre o... fb.me/JTuvOsjn 1 week ago
  • Separamos algumas iniciativas do Brasil, Russia, Índia, China e África do Sul que demonstram, em pequena ou... fb.me/3mqG4aCna 1 week ago

%d blogueiros gostam disto: