Desmatamento na Amazônia cai 47% em agosto

16 \16\UTC novembro \16\UTC 2010 at 9:00 Deixe um comentário


Em agosto, a Amazônia perdeu 265 quilômetros quadrados de floresta, de acordo com os dados do sistema Detecção do Desmatamento em Tempo Real (Deter), divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Na comparação com agosto de 2009, quando os satélites registraram 498 quilômetros quadrados de derrubadas, houve redução de 47%.

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, disse que o número confirma a tendência de queda do desmate na região nos últimos meses. “Está se confirmando um padrão sustentável de redução do desmatamento”, avaliou.

Em agosto, o Pará liderou o desmate na região, com 134 quilômetros quadrados de desmate, seguido por Mato Grosso, com 54,85 quilômetros quadrados e pelo Amazonas, com 26,4 quilômetros quadrados a menos de florestas no período.

No acumulado de janeiro a agosto deste ano, os números do Inpe apontam redução do desmatamento em quase todos os estados da Amazônia Legal, menos no Amazonas. “O Amazonas ainda representa esse vazamento. Estamos em campo procurando entender se é uma nova vertente de desmatamento, se é uma nova ocupação de território”, disse a ministra.

O Deter monitora áreas maiores do que 25 hectares e direciona a fiscalização ambiental.

A taxa anual de desmatamento é calculada por outro sistema, o Projeto de Monitoramento do Desflorestamento na Amazônia Legal (Prodes), que é mais preciso, por avaliar áreas menores. Apesar da metodologia diferente, a avaliação do Deter costuma antecipar os resultados do Prodes.

Os dados do Prodes para o período 2009/2010 devem ser apresentados em novembro. Se a tendência de queda se confirmar, o governo espera chegar a um novo recorde de queda do desmatamento. Em 2008/2009, a taxa anual de desmate calculada pelo Inpe foi de 7,4 mil quilômetros quadrados, a menor registrada em 20 anos de monitoramento.

As cerâmicas da região Norte do Brasil que codesenvolvem projetos de redução de emissões com a Sustainable Carbon contribuem para a redução do desmatamento e para a diminuição da deserificação da Amazônia, mitigando os efeitos das mudanças climáticas na região.

Fonte: Agência Brasil

Anúncios

Entry filed under: Sem categoria.

Cerâmica Irmãos Fredi reinaugura Associação Espírita Fé, Esperança e Caridade após reforma Brasil antecipará meta de redução de desmatamento em 4 anos, diz Lula

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Inscreva-se para receber notificações de novos artigos por email!

Junte-se a 47 outros seguidores

Nosso Facebook

Nosso Twitter

  • Preparamos uma análise sobre o Cerrado brasileiro, com características e desafios do Bioma. A Sustainable Carbon... fb.me/1Nu5z6Dnp 3 days ago
  • Levamos nossos novos colaboradores para o 5º período de monitoramento das cerâmicas no Rio de Janeiro. Conheça... fb.me/2KzuG3Qs0 4 days ago
  • Em Bonn, na Alemanha, não foi só o chanceler brasileiro que "alfinetou" Donald Trump. Leia mais. fb.me/3L751ilZI 5 days ago
  • O Projeto REDD Florestal Santa Maria preserva sua área de mata natural, reduz o desmatamento da Amazônia, diminui... fb.me/1blQs35aD 1 week ago
  • Você acredita que pode dar certo? Também já teve alguma ideia para reduzir o aquecimento no Ártico? fb.me/3Cct3Ym7i 1 week ago

%d blogueiros gostam disto: