As etapas para a geração de créditos de carbono

23 \23\UTC outubro \23\UTC 2009 at 20:29 Deixe um comentário


Visita de validação na Cerâmica CGM: uma das etapas

Para gerar créditos de carbono, as cerâmicas devem seguir um procedimento dividido em cinco etapas, que se cumpridas corretamente, possibilitam a aprovação do projeto e, consequentemente, a emissão dos créditos.

O primeiro passo é realizar o estudo de viabilidade. “É uma avaliação importante que verifica se a troca de combustível atende aos pré-requisitos para ser desenvolvido um projeto de carbono e o custo-benefício do investimento no projeto”, explica a coordenadora de sustentabilidade da Carbono Sustentável (antiga Carbono Social), Heloísa Mota.

Caso o projeto de carbono na cerâmica seja viável, a próxima fase é elaborar o Documento de Concepção do Projeto (DCP) e o Diagnóstico do CARBONOSOCIAL. Nesta etapa, a participação do ceramista é fundamental.

Desde o início da troca de combustível deve ser realizado um monitoramento para armazenar informações e elaborar documentos que comprovem a redução de emissões. “O monitoramento depende completamente da participação do ceramista”, conta Heloísa Mota.

“Os dados fornecidos por eles são os que a validadora considera para fazer a verficação.” Segundo ela, se a cerâmica usa 100 m³ de biomassa renovável, mas só tem os documentos que comprovem o uso de 70 m³, os créditos serão emitidos com base nos 70 m³ de biomassa.

Após a adequação de todos os estudos e documentos necessários chega a terceira fase: a validação. Uma empresa certificadora visita a cerâmica e analisa os documentos enviados para comprovar se as informações são verdadeiras.

A última etapa é a verificação, onde a empresa certificadora avalia os documentos e informações arquivadas durante o processo de monitoramento e elabora o Relatório de Verificação, que contém a quantidade de créditos gerados efetivamente pelo projeto e que podem ser comercializados.

A Carbono Sustentável estima que para completar todo o ciclo são necessários seis meses, desde que o ceramista forneça os dados e documentos exigidos e cumpra os prazos estipulados. Ao iniciar o projeto, o empreendedor deve se comprometer em encerrar totalmente o uso de biomassa não renovável. Caso seja verificado o uso de lenha nativa novamente, todo o projeto é cancelado e finalizado.

Entry filed under: Sem categoria. Tags: .

Carbono Sustentável debate tributação em Belém Estudo de viabilidade: 1º passo para gerar créditos de carbono

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Inscreva-se para receber notificações de novos artigos por email!

Junte-se a 47 outros seguidores

Nosso Facebook

Nosso Twitter


%d blogueiros gostam disto: