Sistema de monitoramento eletrônico da curva de queima melhora o desempenho das cerâmicas

10 \10\UTC setembro \10\UTC 2009 at 17:35 Deixe um comentário


Monitoramento da Cerâmica CGM (CE)

O monitoramento da temperatura dos fornos durante a queima dos tijolos e telhas de cerâmica vermelha tem grande importância para o ciclo produtivo da indústria. A instalação de termopares e o acompanhamento digital através de gráficos são responsáveis pela economia de biomassa e diminuição de erros humanos, oferecendo uma prática alternativa para o controle de produção e ciclo de queima da fábrica.

O acompanhamento digital de curvas de queima ocorre através da instalação de termopares, termômetros eletrônicos, em cada forno da cerâmica. Os dados de temperatura armazenados pelos sensores dos termopares são enviados para um computador, que possui um programa capaz de transformá-los em gráficos, facilitando o acompanhamento da queima dentro de cada forno, individualmente e em conjunto. Atualmente, existem no mercado duas marcas líderes que oferecem o programa e os equipamentos necessários para o acompanhamento da curva de queima: Alutal e Flyever.

Por apontar o momento exato no qual o forno atingiu a temperatura ideal de queima, os sistemas de monitoramento permitem que o ceramista coloque apenas a quantidade necessária de biomassa no forno, evitando desperdício e diminuindo significativamente o consumo de combustível. “A quantidade de biomassa economizada é realmente muito grande. É possível diminuir em até 50% a quantidade utilizada de combustível”, diz Ronaldo Gomes de Mattos, proprietário da Cerâmica CGM, de Crato (CE), que reduziu as emissões dos gases causadores do efeito estufa com o uso de biomassa renovável como combustível. Essa mudança possibilitou a geração de créditos de carbono SOCIALCARBON.

O ceramista, que utiliza os equipamentos da Alutal há aproximadamente quatro anos, vê inúmeras vantagens no uso do sistema, e embora o custo inicial do produto seja alto, garante que isso é compensado pelos benefícios na melhora de desempenho do processo e pela economia de biomassa.

O monitoramento é também de grande relevância para o projeto de créditos de carbono, permitindo que os ceramistas encontrem mais rápido o ponto de queima, que é variável para cada tipo de combustível. Além disso, é possível controlar características específicas da qualidade do produto, o que agrega valor no mercado consumidor. Segundo o coordenador técnico da Sustainable Carbon (antiga Carbono Social Serviços Ambientais), Rafael Borgheresi, um equipamento de controle de queima com essas características “colabora com as certificações de qualidade do tipo Inmetro e com as certificações em geral, incluindo as de créditos de carbono” .

Clique aqui para ver as fotos da cerâmica

Entry filed under: Ceará, Cerâmicas. Tags: .

Empresa de tecnologia neutraliza emissões com créditos de carbono de cerâmica do Tocantins Sustentabilidade da Cerâmica Santorini é destaque em revista de Minas Gerais

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Inscreva-se para receber notificações de novos artigos por email!

Junte-se a 47 outros seguidores

Nosso Facebook

Nosso Twitter


%d blogueiros gostam disto: